15/03/2021 às 08h24min - Atualizada em 15/03/2021 às 08h24min

É LULA QUE ESTÁ DEMITINDO PAZUELLO.

BOLSONARO ESTÁ APAVORADO.


O mundo mudou para Bolsonaro desde que Lula foi lá para São Bernardo do Campo, no último dia 10 de março, com o objetivo de botar a boca do mundo. Lula mostrou que é um presidente de verdade, que não permitiria que o país chegasse ao ponto em que estamos, estraçalhado pela incompetência no combate à pandemia do coronavírus.

Terminado o discurso, Bolsonaro, que assistiu tudo de boca aberta e olhos arregalados, olhou em volta e só conseguia ver milhões de votos definitivamente soterrados com urnas eletrônicas parecendo zombar de sua cara de pavor. Ligou imediatamente para o ministério do Vírus:
- Alô, Pazuello?
- Saúde, Presidente!
- Que saúde coisa nenhuma! A saúde acabou! Só se vê cadáver por toda parte! São mortos e mais mortos! Milhões de mortos espalhados por aí! E o culpado é você, Pazuello!!!
- Presidente...Presidente... não é bem assim...
- Cala a boca, Pazuello! É assim como estou dizendo! Culpa sua e dessa cloroquina que não serve pra nada!
- Mas, Capitão... Presidente, foi ideia sua seguir essa receita...
- É obrigação sua fazer o certo para a Saúde. Tem obrigação de não me deixar errar!
 
Pazuello parou um pouco, parecendo pensar... olhou para a porta... e gritou: “Pode entrar, pessoal!” A porta é aberta com violência, entram milhares de soldados do Exército que avançam sobre Bolsonaro, agarram por braços e pernas e saem porta afora. “Ainda se ouve um lamento: “Até tu, Pazu?”
 
Infelizmente, essa “tragédia” é apenas uma comédia. No mundo real, a situação não está para brincadeira. O Brasil já está em quase 12 milhões de casos e quase 300 mil mortes. É um título mundial que nem o Trump gostaria de ter. E não precisava ser assim. Se houvesse um mínimo de responsabilidade ali no Planalto, a pandemia poderia ter sido enfrentada com mais eficiência. Bolsonaro, o principal responsável por essa situação, a rigor não deveria continuar nem mesmo um segundo ocupando inutilmente o cargo de presidente. Agora, ele apavorou. Pressionado pelo Centrão, pelas pesquisas, decidiu contratar uma “especialista”, a médica Ludhmila Hajjar. Tomara que ela consiga salvar vidas. Mas salvar a reeleição ficou impossível. Quanto a Pazuello...
 
Leia também na Folha e no Brasil247

NOTA: Dizem agora que talvez a Ludhmila não aceite. Bolsonaro é um caso perdido...

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »