28/06/2020 às 09h09min - Atualizada em 28/06/2020 às 09h09min

ALERTA NA AUSTRÁLIA CONTRA O CORONAVÍRUS

A SEGUNDA ONDA JÁ COMEÇOU



Um epidemiologista líder em NSW (New South Wales, estado australiano) disse que fechar a fronteira com Victoria (estado/capital da Austrália) não é a solução para controlar a disseminação do coronavírus (Covid-19), mas testes expandidos e máscaras faciais minimizariam a escalada.
Depois que o segundo pico de coronavírus em Victoria atingiu um novo recorde de 49 casos (atenção: 49 casos!) no domingo, a professora de Biossegurança Global da Universidade de NSW, Raina MacIntyre, disse: "Entendo que a fronteira terrestre de NSW-Victoria tem cerca de 50 pontos diferentes para atravessar. Particularmente nesse área de Albury-Wodonga, onde você tem pessoas de ambos os lados da fronteira e muitas interações entre as duas cidades.
"A medida mais importante será o teste expandido".
 
A contagem feita em Victoria apresentou o maior número diário desde abril. Foram acrescentados 20 casos em que a fonte da infecção era desconhecida ou transmitida localmente no fim de semana.
Em NSW, a transmissão local é rara, com apenas cinco casos (atenção, Brasil: 5 casos!) sem uma fonte conhecida relatada nas últimas duas semanas em mais de 166.000 testes. Menos de 10 novos casos, no total, foram registrados desde sexta-feira.
O vice-diretor médico da Austrália, Professor Michael Kidd, descreveu o número crescente de casos de Victoria como uma "preocupação genuína", acrescentando que não era exatamente uma segunda onda da pandemia, mas apenas um surto.
“Portanto, essa não é uma segunda onda. Este é um surto e a resposta que está ocorrendo é muito vigorosa e apropriada", disse o professor Kidd.
Michael Douglas, da Saúde de NSW, disse que as pessoas que retornam dos pontos vitorianos devem restringir seus movimentos.
"Qualquer pessoa que retorne de áreas de preocupação de Melbourne não deve frequentar centros de atendimento a idosos, hospitais ou outros locais onde possam estar pessoas vulneráveis", disse Douglas. "Devem evitar reuniões fora de sua casa pelos próximos 14 dias".
 
O governo de NSW não planeja fechar a fronteira com Victoria, disse uma porta-voz. Victoria havia testado cerca de 40.000 pessoas entre sexta-feira e domingo de manhã, segundo o governador vitoriano Daniel Andrews, que disse que muitos dos testes que foram recusados seriam de crianças pequenas em quarentena de hotel, cujos pais não queriam passar cotonetes desconfortáveis ​​no nariz e na garganta.
"Eu acho que o que levou alguns pais a não testar seus filhos, muitas vezes bem pequenos, é que se trata de um procedimento desagradável", disse Andrews.
Agora, os testes de saliva estão sendo lançados para qualquer pessoa na quarentena vitoriana de hotéis. O NSW não usa testes de saliva.
Em NSW, existem apenas sete casos ativos de coronavírus adquiridos localmente, com a grande maioria dos casos novos encontrados em viajantes internacionais que retornam e estão em quarentena em hotéis.
O governo vitoriano decidiu seguir a orientação do governo de NSW no domingo e introduziu testes obrigatórios para viajantes internacionais em quarentena de hotel, se eles quiserem sair em 14 dias.
Aqueles que não fizerem o teste no dia 11, terão que ficar em quarentena por mais 10 dias.
A maioria dos novos casos em NSW são de viajantes retornados em quarentena de hotéis, e menos de 2% dos viajantes retornados se recusam a fazer um teste de coronavírus no 10º dia de sua estadia, disse o Departamento de Saúde de NSW.
Em Victoria, cerca de 85% das pessoas em quarentena de hotéis foram testadas, disse Andrews.
Menos de 10 novos casos foram relatados no fim de semana em NSW (seis no sábado e três no domingo), elevando o número total de casos em NSW para 3.177. Dois dos casos de domingo foram viajantes em quarentena de hotéis e a terceira pessoa era um membro da tripulação de uma companhia aérea de carga de 34 anos, cujos contatos íntimos foram identificados.
Mais de 830.000 testes de coronavírus foram realizados em NSW, com 49 pessoas em tratamento pela Saúde NSW, nenhuma em terapia intensiva.
A Austrália Ocidental registrou um novo caso de coronavírus no domingo. Atualmente, existem cinco casos ativos no estado, todos em quarentena de hotéis.
Queensland não registrou novos casos no domingo e possui apenas dois casos ativos de coronavírus, ambos na Costa do Ouro.
O sul da Austrália não tem novos casos desde maio e estará diminuindo ainda mais as restrições na segunda-feira, para permitir que mais pessoas entrem em restaurantes e casas noturnas.
Globalmente, o número de infecções por coronavírus está se aproximando rapidamente de 10 milhões, mais ou menos duas vezes o número de casos graves de influenza registrados anualmente, com o número de mortes próximo de 500.000 desde janeiro.
Havia 44.602 novos casos de coronavírus nos Estados Unidos no sábado, com um total de casos agora acima de 2,5 milhões, mas os relatórios sugerem que o número real pode ser 10 vezes maior que o número de mortos ultrapassando 125.000 lá.
Os Estados Unidos têm os casos e as mortes mais conhecidos de coronavírus em todo o mundo, com mais de um milhão de casos à frente do Brasil, que possui o segundo maior número de infecções. A China continental, que já foi o epicentro da infecção, registrou 17 novos casos de coronavírus no domingo, principalmente na capital Pequim.
 


A partir de reportagem de Nigel Gladstone, The Sydney Morning Herald
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »