19/11/2019 às 10h23min - Atualizada em 19/11/2019 às 10h23min

CONFIRMADO DE ONDE PARTIU O TIRO CONTRA ÁGATHA

A BALA SAIU DE UM FUZIL DA PM


Complexo do Alemão, 20 de setembro de 2019. Dupla foge de uma blitz dentro do complexo. PM lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro da Fazendinha faz o disparo. Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, morre. Foi atingida por um projétil com ranhuras idênticas à do cano do fuzil usado pelo PM, segundo um relatório do Instituto de Criminalista Carlos Éboli (ICCE), entregue à Delegacia de Homicídios da capital (DH). 

O laudo mostra também que, antes, a bala atingiu um poste. Foi um estilhaço que provocou a morte de Ágatha, perfurando suas costas e saindo pelo tórax. Ela chegou a ser levada para a UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) do Morro do Alemão, de onde foi transferida para a emergência do Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha.
O advogado da família de Ághata, Rodrigo Mondego, quer que o autor do disparo seja indiciado por homicídio doloso, o que já conteceu.

O povo do Rio de Janeiro quer mais segurança, não quer mais matança.

 
CARTA CAPITAL.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »