19/02/2020 às 16h23min - Atualizada em 19/02/2020 às 16h23min

​MORO INTIMIDA LULA COM LEI DA DITADURA

EX-PRESIDENTE TEVE DE IR À PF

O ministro da Justiça, Sergio Moro, finalmente resolveu agir sobre as milícias que expandem a área de atuação no Brasil. Mas não foi para combater os milicianos acusados de vários crimes, principalmente nas periferias das grandes cidades.
Em mais uma etapa da perseguição ao ex-presidente Lula, Moro tentou enquadrar o ex-presidente na Lei de Segurança Nacional sob a acusação de que Lula teria feito declarações sobre as notórias relações do governo com os milicianos. A denúncia foi feita pela presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann e pelo deputado federal Paulo Pimenta. Eles publicaram nas redes sociais que acompanharam o ex-presidente a uma audiência, nessa quarta-feira, na sede da Polícia Federal, em Brasília. Os parlamentares afirmaram que a audiência foi solicitada pelo ministro da Justiça, Sergio Moro.

Pelo Twitter, Paulo Pimenta escreveu: “O Ministro, agindo como jagunço de milicianos, tenta constranger e intimidar Luia baseado na Lei de Segurança Nacional”. E o deputado também mandou recado. “Sérgio Moro acha que intimidando Lula fará o povo brasileiro mudar sua percepção de que este é um governo com íntimas relações com o crime organizado? Será que de fato ele imagina que deixaremos de afirmar que Queiroz e Adriano faziam a ponte da famigliia com as milícias ?”

Gleisi Hoffamann também mostrou toda a indignação contra a presguição ao ex-presidente Lula. “Hj, junto com @DeputadoFederal, participei de uma audiência inacreditável, de inquérito contra o presidente Lula. Requisição de Sérgio Moro com base na Lei de Segurança Nacional, desenterrada do regime militar, pq Lula falou das notórias relações do governo com milicianos.”
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »