05/12/2023 às 11h22min - Atualizada em 05/12/2023 às 11h22min

CONHECE A DAKOVO?

É COISA DA PF.



A PF (Polícia Federal) lançou nesta terça-feira, 5, a operação Dakovo (nome de uma cidade
na Croácia, 37 km ao sudoeste de Osijek, no Condado de Osijek-Baranja). Com altitude de 111m e uma população de 19.491 habitantes (27.745 no município), Đakovo é o centro da fértil região agrícola Đakovština). O objetivo foi desarticular um grupo internacional suspeito de fornecer 43 mil armas para as principais facções criminosas do Brasil, incluindo o PCC (Primeiro Comando da Capital) e o CV (Comando Vermelho). O esquema internacional de tráfico de armas, segundo a PF, teria movimentado cerca de R$ 1,2 bilhão em três anos.
 
Os agentes estão cumprindo cinco mandados de prisões preventivas, seis ordens de prisão temporária e 54 mandados de busca e apreensão em três países, Brasil, Paraguai e Estados Unidos (será a sede?). No Brasil, os mandados foram cumpridos no Rio de Janeiro, São Paulo, Sorocaba, Praia Grande, São Bernardo do Campo, Ponta Grossa, Foz do Iguaçu, Brasília e Belo Horizonte. Segundo o G1, o principal alvo da operação, Diego Hernan Dirísio, considerado o maior contrabandista de armas da América do Sul, permanece foragido.
A operação foi realizada pela PFl no Estado da Bahia, em parceria com MPF (Ministério Público Federal) e cooperação internacional com a SENAD/PY (Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai) e o Ministério Público do Paraguai. A ação contou ainda com a FICTA (Força-Tarefa Internacional de Combate ao Tráfico de Armas e Munições), que é composta pela HSI (Homeland Security Investigations) e SENASP (Secretaria Nacional de Segurança Pública), sob supervisão do Serviço de Repressão ao Tráfico de Armas da PF. A investigação teve início em 2020, quando a Polícia Federal apreendeu pistolas e munições no interior da Bahia.
“Três anos mais tarde, a cooperação internacional que resultou na operação desta terça indica que um homem argentino, dono de uma empresa chamada IAS, com sede no Paraguai, comprava pistolas, fuzis, rifles, metralhadoras e munições de fabricantes de países como Croácia, Turquia, República Tcheca e Eslovênia. Além disso, as investigações apontam para corrupção e tráfico de influência na DIMABEL (Direccion de Material Belico), órgão paraguaio encarregado de controlar, fiscalizar e autorizar o uso de armas, facilitando o funcionamento do esquema criminoso”, destaca a reportagem.
Com a grana que estão faturando, ainda ficarão um bom tempo de passeios pelo mundo...
 
Leia também no Brasil247.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »