22/02/2022 às 14h40min - Atualizada em 22/02/2022 às 14h40min

​FESTA NO TSE!

BOLSONARO NÃO VAI À POSSE DE FACHIN E MORAES...



Silêncio... expectativa... Trata-se de um ambiente sóbrio, respeitoso, cheio de regras e de leis...De repente...
Palmas! Apitos!!! Urras! Abraços, tapas nas costas, alegria geral e irrestrita. Acabou de chegar mensagem urgente diretamente do Planalto:
Bolsonaro alega 'compromissos preestabelecidos' para não ir à posse de Fachin e Moraes no TSE. Isso apesar de sua agenda oficial não mostrar nenhum compromisso no horário da posse dos ministros Edson Fachin e Alexandre de Moraes, que assumem como presidente vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

Por que tanta alegria assim? Talvez porque, no seu discurso no Sete de Setembro do ano passado, Bolsonaro chamou Moraes de "canalha", afirmou que ele deveria "pegar o chapéu" e deixar o STF e disse que não mais cumpriria decisões do ministro. Depois da repercussão do caso, ele ensaiou um recuo, com a intermediação do ex-presidente Michel Temer. Foi Temer quem indicou Moraes para o STF.
Meses depois, Bolsonaro deixou de cumprir uma ordem judicial de Moraes ao não prestar depoimento na Polícia Federal marcado para ocorrer em 28 de janeiro de 2022. Nesse caso, ele era investigado por divulgar informações sigilosas de um inquérito que apurava um ataque hacker ao TSE.


"Considerando compromissos preestabelecidos em sua extensa agenda, o senhor presidente Jair Bolsonaro não poderá participar do referido evento. Assim, agradece a gentileza e envia cumprimentos", diz o ofício enviado ao TSE e assinado pela chefe de gabinete adjunta do presidente, Cláudia Teixeira dos Santos Campos.

O, digamos, interessante é que a agenda pública de Bolsonaro para essa terça, 22, publicada no site da Presidência da República, não mostrou nenhum compromisso no horário da posse de Fachin e de Alexandre de Moraes, que assume como vice-presidente do Tribunal. São quatro compromissos marcados, o último deles uma reunião com o advogado-geral da União, Bruno Bianco, entre 15h30 e 16h.

Fachin e Moraes foram ao Planalto no dia 7 deste mês levar o convite a Bolsonaro, em um encontro que durou cerca de 10 minutos onde pouco foi falado. Depois, em entrevista, Bolsonaro reclamou de que dirigiu a palavra duas vezes a Moraes durante o encontro, mas o ministro não lhe respondeu.

Relator de diversos processos que envolvem o presidente no STF (Supremo Tribunal Federal), Moraes é alvo constante de críticas e ataques de Bolsonaro.
Outro alvo constante do presidente é o Judiciário e o sistema eleitoral do país, em especial a urna eletrônica. Depois de reduzir as críticas por algum tempo, Bolsonaro tem voltado a levantar suspeitas absurdas sobre o sistema e a criticar os ministros do Supremo.

Certamente os ministros do Supremo farão questão de dar bye-bye para Bolsonaro no próximo dia 31 de dezembro. Com toda certeza haverá festa no TSE...

Leia também no Brasil247.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »