23/06/2019 às 19h48min - Atualizada em 23/06/2019 às 19h48min

O BRASIL DE UM POVO ALEGRE


Aprenda, Bolsonaro, com esses 3 milhões de público LGBT na Avenida Paulista, neste domingo, alegres, animados, em atos principalmente contra o crime da homofobia. Claro, não vai aprender nunca. Você, Bolsonaro, ainda não sabe nada da vida, não sabe nada de Brasil.
É atrasado, e se julga esperto. Até os senhores quase anciãos do Supremo estão anos-luz à sua frente.

Jakeline de Oliveira, fotógrafa, de 36 anos, participou pela primeira de uma parada LGBT. E sabe o motivo que levou a fotógrafa a comparecer neste domingo, 23, à Avenida Paulista? Há dois meses sua filha, de 14 anos, assumiu ser bissexual. Ela compareceu com mais duas amigas, que têm a mesma idade e também se identificam como bissexuais. Jakeline aproveitou para declarar: “O momento político que passamos me incentivou estar aqui. O nosso presidente é um desastre para a população. Estou lutando pela vida da minha filha”.

Além de Jakeline, que compareceu neste domingo para protestar contra Jair Bolsonaro, muita gente com diversas faixas e cartazes com frases contra o presidente da ultra direita.
Nas ruas, cobertas com as cores do arco-íris, os manifestantes fizeram questão de destacar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que equipara a homofobia ao crime de racismo.
“Obrigado, STF”, diziam cartazes carregados por manifestantes que vestiam a bandeira do arco-íris, marca do movimento LGBT.

Alguns políticos compareceram. O prefeito Bruno Covas (PSDB) afirmou que a cidade de São Paulo “celebra a diversidade” e que pretende ser “referência mundial em termos de direitos humanos”.
O deputado federal David Miranda (PSOL/RJ), único parlamentar gay da Câmara dos Deputados, desfilou no carro da Uber. Junto com o congressista estava a deputada federal Sâmia Bonfim (PSOL/SP) e outros deputados estaduais.
A deputada do estado de São Paulo, Erica Malunguinho (PSOL), primeira deputada trans do Brasil, estava no carro que abriu os desfiles da parada.
E não foi só pela luta dos direitos LGBTs que os manifestantes marcharam neste domingo. Manifestantes também carregavam faixas pedindo a libertação de Lula, que se encontra preso em Curitiba pela operação Lava- Jato.

Foi uma marcha de protesto contra a marcha fúnebre que emana do Planalto.

Leia também na Carta Capital
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »