05/09/2020 às 08h11min - Atualizada em 05/09/2020 às 08h11min

​TRUMP ESTÁ DERROTADO

CHAMOU OS SOLDADOS AMERICANOS DE OTÁRIOS E DERROTADOS

 
As táticas de guerra são variadas. Às vezes, você propagandeia uma força maior do que realmente tem; às vezes, você oculta toda a força que realmente tem. Trump agora demonstra não ter nem tática, nem estratégia, nem visão do que está realmente acontecendo nesta eleição presidencial americana. Trump achou que bastaria dar um peteleco para eliminar o adversário Democrata, Joe Biden. E é essa arrogância – que parece ser a principal característica de Trump – que pode levá-lo a perder a batalha final. Como relata The Atlantic, “o presidente chamou os soldados mortos em combate de ‘perdedores’ e ‘otários’. Ele negou veementemente, mas algumas pessoas sempre próximas a ele disseram que estava de acordo com outros comentários depreciativos que ele fez aos soldados”.
 
Quando cancelou uma visita ao Cemitério Americano Aisne-Marne perto de Paris, em 2018, ele culpou a chuva pela decisão de última hora, dizendo que “o helicóptero não voava” e que o Serviço Secreto não o levaria até lá . Nada disso era verdade. Trump foi contra a visita porque temia que seu cabelo ficasse desgrenhado na chuva e porque não acreditava na importância de homenagear os americanos mortos na guerra, de acordo com quatro pessoas com conhecimento de primeira mão da discussão naquele dia. Em uma conversa com membros da equipe sênior na manhã da visita agendada, Trump disse: “Por que eu deveria ir àquele cemitério? Está cheio de perdedores.” Em uma conversa separada na mesma viagem, Trump se referiu aos mais de 1.800 fuzileiros navais que perderam a vida em Belleau Wood como “otários” por terem sido mortos.
 
Talvez Trump nem saiba, mas Belleau Wood é uma batalha importante na história americana, e o terreno em que foi travada é venerado pelo Corpo de Fuzileiros Navais. Foi ali que as forças aliadas (incluindo os Estados Unidos...) pararam o avanço alemão em direção a Paris na primavera de 1918. Mas Trump, não sabe nada disso, chegou a perguntar aos assessores: "Quem eram os mocinhos nesta guerra?" Ele também disse que não entendia por que os Estados Unidos interviriam ao lado dos Aliados.
Trump revelou esse seu conceito de “patriotismo” e “sacrifício” quando demonstrou desprezo pelo histórico de guerra do senador John McCain, já morto, que passou mais de cinco anos como prisioneiro dos norte-vietnamitas. “Ele não é um herói de guerra”, disse Trump em 2015, enquanto concorria à indicação Republicana para presidente. “Gosto de pessoas que não foram capturadas.”
 
A porta-voz da Casa Branca Alyssa Farah obviamente declarou: “Essa história é falsa. O presidente Trump tem os militares em alta conta. Ele demonstrou seu compromisso com eles a cada passo: cumprindo sua promessa de dar às nossas tropas um aumento de salário muito necessário, aumentando os gastos militares, assinando reformas críticas para os veteranos e apoiando os militares cônjuges. Isso não tem base de fato.” Essa é a função de uma porta-voz de alguém como Trump – estar sempre alerta para negar tudo. O que não se pode negar é que é o próprio Trump quem mais inviabiliza a sua reeleição.

Leia também em The New York Times e The Atlantic
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »