30/06/2020 às 16h52min - Atualizada em 30/06/2020 às 16h52min

​DECOTELLI NÃO ESTÁ MAIS MINISTRO DA EDUCAÇÃO

ELE NÃO AGUENTOU A PRESSÃO E PEDIU PARA SAIR DO GOVERNO

 
Será que o professor Carlos Alberto Decotelli vai incluir mais um título no seu currículo, o de Ministro da Educação do Brasil (25 a 30 de junho de 2020)? Se isso acontecer, vai ter de alterar, mais uma vez, o seu histórico porque Decotelli foi nomeado, mas nem chegou a tomar posse. Os questionamentos aos títulos apresentados no seu currículo provocaram um desgaste seu e uma irritação no governo. Depois de um encontro com o presidente Bolsonaro, no início da noite dessa segunda-feira, 29, Carlos Alberto Decotelli encheu o peito e disse aos jornalistas de plantão: “Sou ministro”.

Depois que a Universidade Nacional de Rosário desmentiu o título de doutor e depois que a Universidade de  Wuppertal, na Alemanha, também negou que tnha dado o título de pós-doutorado a Decotelli, a situação do ministro foi ficando insustentável. A ala militar do governo, que até chancelou a escolha dele para o ministério da Educação, passou a falar a verdade sobre situação como militar. “Ele não é da Marinha. Fez um curso no CIORM (Centro de Instrução de Oficiais da Reserva da Marinha) há muitas décadas atrás e não seguiu carreira", disse um assessor do Palácio do Planalto à colunista Carla Araújo do  UOL.

A terça-feira começou com mais uma complicação à permanência de Decotelli no governo. A Fundação Getúlio Vargas divulgou uma nota negando que o ministro nomeado tenha sido professor das escolas da instituição. Segundo a FGV, Decotelli foi professor colaborador "apenas nos cursos de educação continuada, nos programas de formação de executivos".

Pressionado, mais ainda, Carlos Alberto Decotelli entregou a carta de demissão ao presidente Boslonaro, na tarde desta terça-feira, 30, em encontro no Palácio do Planalto. Como ele fez o que o presidente queria, Bolsonaro aceitou o pedido na hora.
E agora, quem vai ser o quarto ministro da Educação, pelo menos nomeado, do governo Bolsonaro?
O colunista do Correio Braziliense, Vicente Nunes, publicou no Twitter, ainda quando a reunião acontecia no Palácio do Planalto, a primeira cotação para o sucessor. “Anderson Ribeiro Correia, reitor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), está praticamente escolhido como ministro da Educação. O nome dele deve ser confirmado ainda nesta terça-feira. Carlos Alberto Decotelli já entregou a carta de demissão dele a Bolsonaro”.  Mas os militares vão ter uma disputa com o Centrão. Grupos religiosos também já falam em nomes para o cargo. Vamos aguardar....
 
Leia mais no Uol
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »