18/06/2020 às 17h43min - Atualizada em 18/06/2020 às 17h43min

WEINTRAUB SAI DO MEC E VAI PARA O BANCO MUNDIAL

BOLSONARO: “NÃO DEIXAREMOS DE LUTAR PELA LIBERDADE."

Enfim, a notícia muito esperada. Abraham Weintraub anuncia que está deixando o ministério da Educação. A saída foi divulgada, pelo Twitter, nesta quinta-feira, 18,através de um vídeo com o presidente Bolsonaro e Weintraub. Visivelmente abatido (o dia começou com a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro), o presidente ouviu Weintraub dizer que foi convidado para assumir um cargo no Banco Mundial. E avisou que vai fazer a “transição com o próximo ministro que pode ser interino”.

A permanência de Abraham Weintraub no ministério começou a ficar insustentável depois que foi divulgado o vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril. Na reunião, Weintraub atacou os ministros do STF ao dizer que “botava esses vagabundos todos na cadeia, começando pelo STF”. No domingo, ele respetiu o ataque ao participar de um protesto contra o Supremo Tribunal Federal, em Brasília.

Nessa quinta-feira, o STF negou o pedido de habeas corpus e manteve Weintraub no inquérito que investiga as fake news. Pressionado, Bolsonaro não tinha mais como segurar Weintraub no cargo. Veja o vídeo do anúncio da saída do ministro. 

Mesmo já sabendo que ia embora, Abraham Weintraub deu a última “canetada” contra a Educação Pública no Brasil. Ele revogou a portaria da ex-presidenta Dilma Rousseff e acabou com as cotas nos cursos de pós-graduação nas universidades federais.

A União Nacional dos Estudantes comemorou a saída de Weintraub, pelo Twitter. “Caiu o Sinistro da Educação! Vitória dos Estudantes”, escreveu Iago Montalvão, presidente da UNE. Weintraub já é o assunto mais comentado da rede social, tirando o lugar de Fabrício Queiroz.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Daqui&Dali Publicidade 1200x90