28/03/2020 às 15h40min - Atualizada em 28/03/2020 às 15h40min

JUSTIÇA PROÍBE CAMPANHA DE BOLSONARO CONTRA A VIDA

RISCO DE DANOS IRREPARÁVEIS PARA A POPULAÇÃO

 
A insistência do governo Bolsonaro em  acabar com o isolamento social, que defende a vida da população, teve mais uma derrota, nesse sábado. A Juíza Federal Laura Bastos Carvalho, de plantão no Rio de Janeiro, suspendeu a campanha “O Brasil Não Pode Parar” e proibiu a divulgação no meio digital ou físico, como no rádio, TV, jornais revistas e sites. O pedido foi feito pelo Ministério Público Federal. A decisão ressalta  que a repercussão da campanha, se divulgada sem informações corretas sobre “os riscos e potenciais consequências para a saúde individual e coletiva, poderia trazer danos irreparáveis à população”. Logo depois que a Secretaria de Comunicação do governo veiculou a campanha, nessa quinta-feira, 26 de março, partidários de Bolsonaro saíram em carreatas pelas ruas de várias cidades do Brasil repetindo frases dos vídeos da campanha. Governadores e prefeitos que decretaram medidas para proteger de um risco maior de contaminação do coronavírus avisaram: estão proibidas manifestações e carreatas. Já há notícias de que prefeituras multaram alguns carros desses motoristas que participaram dessas carreatas, nesse sábado. A Juíza Federal Laura Bastos Carvalho também decidiu que o governo não pode veicular essa ou outra campanha que “sugira à população brasileira comportamentos que não estejam estritamente embasados em diretrizes técnicas, emitidas pelo Ministério da Saúde, com fundamento em documentos públicos, entidades científicas de notório reconhecimento no campo da epidemiologia e de saúde pública. O descumprimento da ordem está sujeito à multa de R$100.000,00 (cem mil reais) por infração”.
Quem sabe, agora, o ministério da Saúde aceita a recomendação que o MPF do Rio de Janeiro fez, nessa sexta-feira, para que os R$ 4,8 milhões que estavam gastando com a campanha fossem usados na compra de respiradores e outros equipamentos fundamentais no combate ao coronavírus?
Outra pergunta bem apropriada para esses tempos difíceis de pandemia do coronavírus: quando será que o presidente Bolsonaro e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, vão parar de atacar e cortar as verbas das universidades federais e centros de pesquisa que estão sendo fundamentais para ajudar a salvar vidas? Ah, a pergunta também deveria ser feita ao ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, mas é tão raro ver o astronauta defender os cientistas e pesquisadores que é melhor que fique pelo espaço mesmo.
Só para lembrar: “Ciência não é gasto. Ciência é investimento”.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »