19/03/2020 às 11h15min - Atualizada em 19/03/2020 às 11h15min

O BOLSONAGATE COM A CHINA:

O “FILHO” PARTIU PARA LUTA VIRTUAL!

 
O nome dele é Eduardo Bolsonaro, policial federal e deputado federal pelo PSL de São Paulo, reeleito em 2018 com o maior número de votos da nossa história: 1.843.735 votos! O que ele tem de diferente, além de ser filho do presidente da República? Arrogância extremada. Teve a ideia idiota (que certamente ouviu de Trump) de que o Partido Comunista Chinês é o responsável pela pandemia do coronavírus. Que ele ache isso de verdade, é problema dele. Que ele divulgue isso como se fosse verdade absoluta, aí já é outra coisa. Como deputado federal por São Paulo, ele fala em nome do seu eleitorado (que não o elegeu para dizer asneira). Como membro da família que está na presidência da República, ele pretende falar em nome do Brasil. Será que essa doença é contagiosa?
 
A reação chinesa foi enérgica, como também foi contra Trump, quando disse a mesma desgracinha. Mas aí surgiram os milicianos digitais em defesa do Filho, o que só fez aprofundar a crise diplomática. A ação da milícia virtual levou, na manhã desta quinta-feira (dia 19), a hashtag #VirusChines aos trending topics do Twitter na defesa do filho de Jair Bolsonaro. Talvez o primeiro a lançar o movimento nas redes tenha sido o blogueiro Allan dos Santos, acusado na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News de capitanear a milícia virtual. O blogueiro – bolsonarista – chegou a atacar o embaixador Yang Wanming!
“Um embaixador de um regime GENOCIDA está querendo violar a Constituição brasileira para impedir que um parlamentar FALE que o #VirusChines é um vírus chinês. Ah, PQP”, tuitou Alan dos Santos.
 
Rodrigo Constantino também saiu na defesa de Eduardo Bolsonaro. “O #VirusChines foi um divisor de águas num aspecto: separou quem tem valores morais e humanitários de quem só liga para valore$ amorais. O que teve de passador de pano da ditadura chinesa saindo pelos buracos do esgoto não está no gibi”.
 
Bernardo Kuster, youtuber que comanda o jornal de Olavo de Carvalho, mandou a China “calar a boca”. “Sabe qual a moral de um país que tinha até ontem como política de Estado matar bebês mulheres apenas por serem mulheres? ZERO. Cala a boca, China”.
 
Outro tuiteiro da milícia que protestou foi Leandro Ruschel, dizendo que a China “opera para minar regimes democráticos”. O certo seria mandar para esses milicianos a resposta que está aí, em chinês.
 
Não dá para saber o que é pior: a ofensa que eles fizeram ou saber que essa idiotice representa boa parte do nosso eleitorado. Seja como for, tem a cara do pai...


Leia também na Forum.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »