05/01/2020 às 06h47min - Atualizada em 05/01/2020 às 06h47min

ESTADOS UNIDOS CONDENAM TRUMP

JANE FONDA NOS PROTESTOS CONTRA ATAQUE AO IRÃ


Nem mesmo dentro dos Estados Unidos Trump escapa do protesto mundial contra sua ação criminosa feita no Iraque contra o general Qassim Suleimani, comandante da Força Quds, divisão de elite da Guarda Revolucionária do Irã.

Milhares de pessoas foram às ruas de 70 cidades dos Estados Unidos, neste sábado, 4, para exigir a saída de militares americanos do Oriente Médio e criticar o ataque ordenado pelo presidente do país, Donald Trump, para assassinar o general Qassim Suleimani, comandante da Força Quds, divisão de elite da Guarda Revolucionária do Irã.
 
Na Lafayette Square, praça que fica em frente à Casa Branca, cerca de 300 pessoas se reuniram em um protesto contra a decisão do governo. Entre os manifestantes estava a atriz Jane Fonda, de 82 anos, presa várias vezes nos últimos dias em atos contra a crise climática.
 
"O movimento climático e o movimento pacifista devem se tornar um único movimento. As pessoas mais jovens deveriam saber que todas as guerras lutadas desde que elas nasceram, todas, foram por petróleo. Não podemos perder mais vidas, matar mais pessoas e arruinar o meio ambiente pelo petróleo", disse Jane Fonda.
 
Havia crianças, idosos e muitos jovens que exibiam cartazes com imagens que ridicularizavam Trump ou com mensagens que pediam a saída dos cerca de 70 mil soldados dos Estados Unidos que atualmente estão no Oriente Médio.
As manifestações em todo o país foram convocadas por dois grupos pacifistas — Answer Coalition e Code Pink — que ganharam popularidade depois da invasão do Iraque em 2003.
 
Cidades como Nova York e Miami também registraram protestos contra o ataque de Trump ao Irã. Em Nova York, os manifestantes protestaram na Times Square, perto dos escritórios de recrutamento do Exército dos Estados Unidos.
O prefeito da cidade, Bill de Blasio, mandou reforçar a segurança em pontos turísticos e áreas-chave de Nova York, com medo de ataques do Irã em represália à morte de Soleimani.
Times Square, um dos locais mais visitados por turistas que viajam a Nova York, estava também lotado de policiais.
 
A presidente da Veterans for Peace (Veteranos pela Paz), Susan Schnoll, ex-integrante da Marinha, declarou: "Isso é um jogo para o presidente Trump. Ele usa o governo para fazer o que quiser".
Em Miami, os manifestantes mostravam cartazes que pediam para que o governo enviasse os jovens soldados para as universidades, não para a guerra.

Leia também no UOL.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »