22/11/2021 às 12h17min - Atualizada em 22/11/2021 às 12h17min

O BRASIL É O MENOR!

TERÁ O MENOR CRESCIMENTO...

 
Tudo começou com a tragédia do golpe de 2016, contra o PT, contra o Brasil. A tragédia econômica inaugurada teve como objetivo implantar um novo choque neoliberal com a "ponte para o futuro". E essa tragédia foi aprofundada com a ascensão de um regime neofacista em 2018, que se mantém até hoje. Estudo publicado nesta segunda-feira, 22, pelo Estadão aponta que o Brasil terá o menor crescimento entre todos os grandes mercados emergentes em 2022, o que comprova por A+B e por 2+2 o fracasso de Paulo Guedes e Jair Bolsonaro.
 
"A economia brasileira deve se ver em uma posição nada invejável em 2022, pois deve ter o pior desempenho dentre os principais países emergentes, segundo compilação feita pelo Estadão/Broadcast a partir de dados do FMI (Fundo Monetário Internacional) e de cinco grandes consultorias e bancos. As expectativas de cinco casas para a economia brasileira – Bradesco, Goldman Sachs, Capital Economics, Fitch Ratings e Nomura – variam de 0,8% a 1,9%. Já o FMI vê avanço de 1,5%, contra média de 5,1% do mundo emergente. Entre as nações analisadas, os piores desempenhos, lado a lado com o brasileiro, são da África do Sul (2,2%) e do Chile (2,5%).", aponta a reportagem.
 
"De qualquer forma, essas perspectivas podem ser consideradas até otimistas, uma vez que a média das expectativas do economistas do relatório Focus, do BC, hoje está em 0,93% para o PIB. E já há bancos, como o Itaú, prevendo até retração de 0,5% no ano que vem", diz a repórter Bárbara Nascimento.
 
Juros
Enquanto o Brasil só faz subir a taxa Selic, na Ásia emergente, por exemplo, os bancos centrais têm conseguido segurar o ritmo da elevação nos juros por terem sentido, de forma geral, menor impacto da inflação.
 
Para a coordenadora do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco, Fabiana D'Atri, há frustração com as reformas e o eventual 'furo' do teto de gastos. "O Brasil, relativamente, parece ter recuperação mais modesta", diz a economista, que vê ao menos um ponto positivo: "temos recuperação importante no mercado de trabalho."
 
Lamentamos, cara Fabiana D'Atri, mas a verdadeira recuperação do Brasil começará somente com a eleição de Lula Presidente.
 
Leia também no Brasil247 e no Estadão.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »