27/03/2021 às 17h33min - Atualizada em 27/03/2021 às 17h33min

​O APOPHIS NÃO ATINGIRÁ A TERRA

MAS VAI PASSAR PERTO...


A NASA (Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço) tinha garantido que existiam chances de um asteroide chamado Apophis atingir nosso planeta a qualquer momento no próximo século, preocupando os cientistas espaciais por mais de 15 anos.
 
O pedaço de rocha espacial de 340 metros (1.100 pés) chegou às manchetes em 2004 depois que sua descoberta levou a algumas previsões preocupantes sobre sua órbita. Ele se tornou um "garoto propaganda dos asteroides perigosos", de acordo com um especialista da NASA.
Era para passar assustadoramente perto em 2029 e novamente em 2036. A NASA descartou qualquer chance de um choque durante essas duas aproximações há um tempo, mas uma colisão potencial em 2068 ainda se aproximava.
 
Agora, as novas observações do telescópio dizem que a colisão foi descartada e o Apophis foi oficialmente retirado da "lista de risco" de asteroides da agência espacial dos Estados Unidos. (Ufa! Por um triz...)
 
Davide Farnocchia, do centro da NASA para estudos de objetos próximos à Terra, disse em um comunicado: "O impacto de 2068 não está mais no reino da possibilidade, e nossos cálculos não mostram nenhuma lista de impactos pelos próximos 100 anos."
Os cientistas foram capazes de refinar a órbita do Apophis em torno do Sol graças às observações do radar no início deste mês, quando o asteroide passou a 17mil km (10,6mil milhas).
O Apophis aparecerá a cerca de 32.000 km (20.000 milhas) da Terra na sexta-feira 13 (toc! toc! toc!) de abril de 2029, permitindo que os astrônomos tenham uma boa visão. Isso é cerca de um décimo da distância até a lua e mais perto do que os satélites de comunicação que circundam a Terra a 36.000 km.
"Quando comecei a trabalhar com asteroides após a faculdade, Apophis era o garoto propaganda dos asteroides perigosos", disse Farnocchia. "Há uma certa satisfação em vê-lo removido da lista."
 
Embora a maioria dos asteroides sejam encontrados no cinturão de espaço entre Marte e Júpiter, nem todos permanecem lá. Apophis pertence a um grupo conhecido como família Aten. Não pertencem ao cinturão de asteroides e passam a maior parte do tempo dentro da órbita da Terra, colocando-se entre o nosso planeta e o sol.
Isso os torna particularmente perigosos, porque passam a maior parte de sua órbita perto do sol, cujo brilho ofuscante os obscurece para os telecópios na Terra - um pouco como um ás dos caças da segunda guerra mundial se aproximando do sol.
 
Vamos esperar por 2029 para ver o que acontece - mas é bom proteger a cabeça...
 
Leia em The Guardian.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »