20/01/2021 às 08h18min - Atualizada em 20/01/2021 às 08h18min

TRUMP DE OLHO EM 2023.

PERDOOU O MARQUETEIRO...

 
Eram os últimos atos de Trump. Ele poderia aproveitar para perdoar a si mesmo, seria uma forma de evitar possíveis acusações que inviabilizariam seu futuro político. Mas ele se sentiu seguro quanto a isso e preferiu perdoar, sabe quem?, o seu marqueteiro político, Steve Bannon.
 
Steve Bannon foi preso no ano passado por acusações de ter usado, ilegalmente, o dinheiro de um fundo, o Build The Wall, criado “exclusivamente” para a construção de um muro na fronteira dos Estados Unidos com o México, com o objetivo de evitar que pobres mexicanos alcançassem a terra de um sonho distante, talvez apenas para ver o filme famoso de Elia Kazan. Mas Bannon tinha outros sonhos...
 
Donald Trump perdoou também rappers, financistas e ex-membros do Congresso.
Foram 73 pessoas ao todo, inclusive Elliott Broidy, um importante ex-arrecadador de fundos para Trump que admitiu ter feito lobby ilegalmente contra o governo dos Estados Unidos para retirar sua investigação sobre o escândalo de corrupção do 1MDB (um escândalo de 2015, na Malásia, envolvendo 700 milhões de dólares) e deportar um bilionário chinês exilado. Também estava na lista Ken Kurson, amigo de Jared Kushner (conselheiro sênior da Casa Branca), que foi acusado em outubro do ano passado de perseguição virtual durante um divórcio acalorado.
Os rappers Lil Wayne e Kodak Black - que foram processados ​​por crimes federais com armas - e o ex-prefeito de Detroit Kwame Kilpatrick, que cumpre uma pena de 28 anos de prisão por acusações de corrupção, também foram perdoados, além de outras 70 pessoas.
 
Trump não se perdoou, nem membros da família, nem mesmo Rudy Giuliani, seu ex-advogado pessoal com quem brigou. Não perdoou Julian Assange. Mas existe trecho especial da constituição que permite a um presidente emitir perdões “secretos”, sem notificar o Congresso ou o público.
 
Segundo o The Wall Street Journal, Trump também está refletindo sobre futuras ambições políticas, pensando até formar um novo partido político, que teria o nome de Partido Patriota...
Mas se Trump for condenado em seu segundo julgamento no Senado, ele pode ser impedido de se candidatar novamente.
 
Quem sobreviver... verá!
 
Leia também em The Guardian.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Daqui&Dali Publicidade 1200x90