28/11/2020 às 18h51min - Atualizada em 28/11/2020 às 18h51min

​NINHO DO AMOR

GIBRALTAR É A MATRIZ DOS CASAMENTOS DA PANDEMIA

 
Gilbratar é um minúsculo território britânico, às margens do Estreito de Gibraltar, que separa a Europa da África, e que requer um mínimo de burocracia para os casais tornarem-se unidos para sempre - um grande atrativo nos tempos da pandemia. Por exemplo, Gibraltar nunca esteve na lista de lugares a serem conhecidos por Bruno Miani - mas tudo mudou quando a pandemia destruiu seus planos de casar com sua namorada em Dublin, onde moram. As repartições públicas dublinenses fecharam, por conta de restrições impostas pelo coronavírus, e o fotógrafo de 40 anos e sua companheira, Natalia Senna Alves de Lima, lutaram para conseguir os documentos necessários para a licença de casamento e enfrentaram uma longa espera por um horário disponível para a cerimônia .
Por conta disso, o casal brasileiro viajou para Gibraltar, um minúsculo território britânico no extremo sul da Espanha, onde se casaram no cartório local.
 
“A maneira mais rápida de se casar agora é ir para Gibraltar”, disse Miani. “Nós nos amamos muito. Já vivemos juntos, como casal. Isso torna oficial.”
 
Gibraltar requer um mínimo de burocracia para se casar e há menos restrições de fronteira do que outros lugares, o que ajudou a transformá-lo em um centro de casamentos durante a pandemia.
Os casais precisam apenas apresentar seus passaportes e certidões de nascimento, e pernoitar no território antes ou depois do casamento. Em seguida, eles precisam ter seu casamento registrado pelas autoridades em seu país de origem.
Os planejadores dos casamentos relatam uma grande demanda de casais de fora do território.
“É absolutamente insano. Simplesmente não conseguimos locais suficientes ”, disse Leanne Hindle, diretora da empresa de eventos de casamentos “Marry Abroad Simply” (Case Facilmente no Exterior).
 
Muitos casamentos realizados em Gibraltar envolvem casais de diferentes nacionalidades, de países bem distantes um do outro, com dificuldade de ir de um lado para o outro por causa das restrições de viagens impostas pelo vírus.
Frequentemente, há necessidade urgente de se casar, como no caso de um casal cujo seguro não cobriria o caro tratamento de fertilidade de que precisavam para ter um filho a menos que fossem casados, disse Hindle.
 
Um cenário comum envolve a oferta de trabalho a uma pessoa em outro país e a possibilidade de trazer o parceiro com ela apenas se forem legalmente casados, acrescentou.
 
Scott Gerow, 41, um cidadão americano, se casou com uma gerente de recursos humanos russa de 44 anos no pitoresco jardim botânico de Gibraltar no início deste mês. O casal se conheceu em janeiro em São Petersburgo, onde Gerow trabalhava na época, mas, depois que ele teve que retornar para os Estados Unidos, em junho, eles foram mantidos separados pela proibição de viagens de vírus.
Como um casal, ela agora poderá se juntar a ele nos Estados Unidos.
Se a opção de se casar em Gibraltar não existisse “ainda estaríamos conversando por vídeo todos os dias”, disse Gerow.
 
Gibraltar também atrai muitos casais das regiões espanholas vizinhas, porque suas regras sobre o uso de máscaras em público e o tamanho das reuniões sociais são menos rígidas, disse Resham Mahtani, planejador de casamentos da Rock Occasions.
O território tem lidado com o aumento da demanda, aumentando o número de casamentos realizados diariamente em seu minúsculo cartório e expandindo o número de locais ao ar livre onde as cerimônias podem ser realizadas.
O Ministro-chefe de Gibraltar, Fabian Picardo, disse estar “encantado com o fato de Gibraltar se tornar conhecido como um lugar de amor em vez de um lugar de divisão”. Deve estar espalhando coronavírus pelo mundo inteiro...
 
Leia também em The Guardian.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Daqui&Dali Publicidade 1200x90