10/06/2021 às 06h37min - Atualizada em 10/06/2021 às 06h37min

CHINA SIGNIFICA EQUILÍBRIO

OS ESTADOS UNIDOS ESTÃO TESTANDO...


A China (ou Zhōngguó, “Terra do Equilíbrio”, em chinês, 中国
) acusou, nessa quarta-feira, 9, o governo americano de Joe Biden de "difamar" o desenvolvimento e as políticas interna e externa da China e de tentar conter seu desenvolvimento, depois que o Senado dos Estados Unidos aprovou um dos maiores projetos de lei industrial da história do país para conter os chamados desafios da China.
O Comitê de Relações Exteriores da Assembleia Popular Nacional (APN), o principal órgão legislador da China, declarou "forte insatisfação e oposição resoluta" ao Ato de Inovação e Concorrência dos EUA de 2021, pedindo a Washington que pare de promovê-lo.

O projeto aprovado mostrou a "ilusão paranóica de querer ser o único vencedor e distorceu a intenção original de inovação e competição", disse o comunicado. E Joe Biden, presidente americano, disse num comunicado que esperava transformá-la em lei "o mais rápido possível".

O projeto estaria repleto de mentalidade de Guerra Fria e preconceito ideológico, buscando exagerar e disseminar a chamada ameaça da China para manter a hegemonia dos EUA, diz o comunicado chinês. "Ele usa os direitos humanos e a religião como desculpas para interferir nos assuntos internos da China e priva a China de seus direitos legítimos de desenvolvimento através da dissociação em campos - incluindo ciência e tecnologia e economia", segundo o comunicado da APN.
As disposições do projeto de lei relacionadas a Taiwan, a Região Autônoma Uigur de Xinjiang, a Região Autônoma do Tibete e a Região Administrativa Especial de Hong Kong são assuntos puramente internos da China e nenhuma interferência estrangeira será permitida, enfatizou o comunicado, acrescentando que "nenhuma força deve esperar que a China engula qualquer fruta amarga que enfraqueça a soberania, a segurança e os interesses de desenvolvimento da China".
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin, disse na quarta-feira, 8, que o modo como os EUA planejam se desenvolver e aumentar sua competitividade é uma questão puramente americana.
"Nós nos opomos firmemente aos EUA criando problema com a China e tratando como um 'inimigo imaginário'", disse Wang numa entrevista coletiva, acrescentando que o maior inimigo dos EUA é o próprio país.
"A China segue o caminho do desenvolvimento pacífico. Nosso objetivo de desenvolvimento é melhorar constantemente a nós mesmos e permitir que o povo chinês viva uma vida mais feliz e melhor", disse ele.

Li Haidong, professor de estudos dos EUA na Universidade de Relações Exteriores da China, explicou que a formulação e aprovação de uma série de projetos de lei dos americanos destinados a competir com a China, incluindo o mais recente, refletem a ansiedade e a falta de confiança das elites políticas dos EUA a despeito do desenvolvimento da China.
Li disse que as elites também estão tentando transferir a culpa de não conseguir resolver suas questões internas, como a divisão acentuada na política e no conflito étnico, desviando a atenção para a China, em um movimento "muito irresponsável".
“Se eles conseguirem concentrar seus esforços nas questões dos próprios Estados Unidos, a base para a cooperação China-EUA será mais sólida. Caso contrário, as relações bilaterais sofrerão mais”, disse Li, sem detalhar como será esse sofrimento...

Leia também no Diário do Povo - (Web editor: Fátima Fu) e no Globo.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Daqui&Dali Publicidade 1200x90