25/05/2020 às 13h47min - Atualizada em 25/05/2020 às 13h47min

​BOLSONARO: “A IMPRENSA MUNDIAL É DE ESQUERDA”

E DAÍ? E A “GRIPEZINHA” E AS MANIFESTAÇÕES ANTIDEMOCRÁTICAS CONTRA O ISOLAMENTO?


As direções dos principais jornais, TVs e revistas do mundo pularam de lado e agora são todos de “esquerda”? Como será que o Le Monde, o The Guardian, o The New York Times e “The Economist” receberam a notícia que o presidente Bolsonaro culpa todos pela péssima imagem do Brasil no exterior? 
A briga com a Organização Mundial de Saúde, com os maiores especialistas sobre a pandemia e com os governadores e prefeitos que defendem a vida da população não são fatores importantes para a reação do mundo contra o governo Bolsonaro? O número de mortes e de casos de contaminação do coronavírus que tornaram o Brasil o segundo país com o maior número de infectados no mundo, somente atrás dos Estados Unidos, não são notícias? Para Jair Bolsonaro, não. Tudo é culpa da esquerda. Foi a resposta que ele deu, nessa segunda-feira, à claque de apoiadores, na saída do Palácio da Alvorada, quando disseram que ele não está sendo bem visto no exterior. 


A moça que pediu a Bolsonaro para que a Secom (secretaria de Comunicação) faça uma campanha para melhorar a imagem dele no exterior deve se informar melhor sobre a Constituição Federal de 1988. Diz o Art.37: “A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos”. Como o governo Bolsonaro pode fazer uma campanha positiva sobre o combate ao coronavírus se nega a pandemia e até participa de manifestações contra o isolamento, com aglomerações? Sem falar na defesa do uso da cloroquina para todos os pacientes com sintomas da Covid-19, mesmo sem ter comprovação científica da eficácia da substância e não se preocupar com os efeitos colaterais. Essa polêmica defesa de Bolsonaro  foi uma das grandes responsáveis pela troca de dois ministros da Saúde, em menos de um mês, no momento em que o Brasil começava a registrar altos índices de mortalidade causada pelo coronavírus. E a culpa da esquerda?
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »